Submissão e Regimento

Convidamos a comunidade acadêmica a submeter textos em filosofia para a publicação no Periódico semestral Investigação FilosóficaOs autores interessados em submeter seus trabalhos à apreciação e possível publicação pelo corpo editorial de  Investigação Filosófica, podem fazê-lo a qualquer hora. Os textos aceitos serão publicados conforme sua data de aceitação em um dos dois números semestrais. O email para o qual devem ser enviados os texto encontra-se abaixo e eles devem estar em formato doc. Além disso, todas as informações que identifiquem o autor devem ser removidas do texto submetido e inseridas apenas no email de submissão.

Email de Investigação Filosófica:ifilosofica@gmail.comPedro Gomlevsky


.....................................................................................


Regimento Aprovado pelo Conselho Editorial em 31 de outubro de 2012

CAPITULO I
Das Finalidades
Art. 1º  Publicar textos de qualidade sobre problemas filosóficos.
Parágrafo único  serão aceitos para publicação os seguintes formatos de texto: artigos, resenhas, traduções, diálogos, entrevistas e verbetes.
Art. 2º  Editar o Periódico semestralmente, sob a responsabilidade do Editor.
Art. 3º  Oferecer acesso livre e imediato ao conteúdo do periódico, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona uma maior propagação do conhecimento.

CAPÍTULO II
Das Normas para Publicação
Art. 4º – Todas as edições publicadas do Periódico devem somente ser constituídas por textos que tenham sido aprovados para publicação através de um processo de avaliação anônima aos pares, de acordo com as especificações descritas no capítulo III deste regimento.
Art. 5º – Cada edição de um novo número do Periódico deverá ser constituído por no mínimo 5 (cinco) e no máximo 15 (quinze) textos. Dentro os textos publicados, no mínimo 3 (três) deles deverão consistir em textos inéditos, excluindo-se nessa contagem, portanto, traduções e resenhas.
Parágrafo único: caso a demanda de textos mínima para publicação não seja atingida dentro dos prazos estabelecidos de acordo com as exigências do art. 2º, o editor poderá publicar uma edição incompleta, contanto que informe a decisão ao corpo editorial antes de publicá-la com antecedência mínima de 4 (quatro) semanas.
Art. 6º – O conselho editorial do Periódico pode decidir publicar números especiais em datas distintas das datas oficiais de publicação.
Parágrafo único: os volumes especiais poderão conter: produções de grupos de pesquisa ou texto sobre um mesmo autor, livro, tema ou subárea da filosofia.

CAPÍTULO III
Do Processo de Avaliação Anônima aos Pares
Art. 7º – O texto será anonimizado por algum Coordenador Editorial e avaliado pelo Editor ou Coordenador Editorial designado pelo Editor, que se certificará da concordância entre o texto recebido e a temática do Periódico. Os artigos, resenhas e traduções submetidos serão avaliados a cega por 2 (dois) pareceristas, tanto por pareceristas ad hoc, quanto por membros do Conselho Editorial. Os textos submetidos poderão ser aceitos sem ressalvas, condicionalmente com ressalvas ou não ser aceitos. Caso o editor envie texto de sua autoria, será designado a um coordenador editorial tratar de sua avaliação.§ 1º  Um membro do Conselho Consultivo, que será composto de filósofos de reconhecida competência, decidirá pela publicação ou rejeição de submissão sobre a qual não houver consenso entre os pareceristas membros do Conselho Editorial, ou sobre a qual não houver pareceristas disponíveis que sejam membros do Conselho Editorial.§ 2º  Em caso de apenas um parecerista disponibilizar seu parecer, é permitido ao editor usar a regra do parecer automático, que consiste em tal parecer determinar automaticamente a aceitação ou rejeição do texto submetido.§ 3º  É também permitido usar a regra do parecer automático, se o parecer for emitido por membro do Conselho Consultivo.

CAPÍTULO IV
Da Organização
Art. 8º  O Periódico é constituído por Editor, Coordenadores Editoriais, Conselho Editorial, Conselho Consultivo e Equipe Editorial. Os Coordenadores Editoriais devem ser membros do Conselho Editorial. O Editor deverá ser membro integrante do Conselho Editorial e presidi-lo.
Parágrafo único – Em caso de impedimento grave, o Conselho Editorial deverá escolher um de seus integrantes para assumir interinamente a editoria.
Art. 9º  Caso julgue necessário, o Editor poderá contar com o auxílio de um ou mais coordenadores editoriais respeitando um limite máximo de 5 (cinco) coordenadores.
§ 1º  Os coordenadores editoriais, membros do conselho editorial de reconhecida competência para coordenação, serão indicados pelo Editor sob a condição de acordo por parte do indicado.
§ 2º  Cabe o editor indicar as edições que serão designadas a respectivos coordenadores editorias, sob a condição de acordo por parte do indicado.
Art. 10º  O Conselho Editorial será constituído por um número mínimo de 5 (cinco) e máximo de 20 (vinte) sócios efetivos.
Parágrafo único – Os membros do Conselho Editorial serão indicados pelo Editor.
Art. 11º  A Equipe Editorial será formada por tradutores, revisores de texto, desenhista gráfico e demais profissionais necessários para o funcionamento do Periódico.

CAPÍTULO V
Das Atribuições Do Editor
Art. 12º  Administrar a redação do Periódico e fixar, juntamente com o Conselho Editorial, a política editorial.
Art. 13º  Receber, apreciar e coordenar a avaliação dos artigos e decidir quanto à sua publicação.
Art. 14º  Indicar os membros do Conselho Editorial e do Conselho Consultivo.
Art. 15º  Supervisionar o trabalho dos Coordenadores Editoriais.
Art. 16º  Estabelecer o planejamento gráfico do Periódico, auxiliado por um profissional da área.
Art. 17º – Redigir editoriais sobre assuntos de interesse para os leitores.
Art. 18º – Representar o Periódico junto a agências financiadoras e em eventos científicos.
Parágrafo único – Em caso de impedimento, o editor escolherá um membro do Conselho Editorial para tal função.

CAPÍTULO VI
Das Atribuições Do Coordenador Editorial
Art. 19º  Auxiliar o editor na redação das edições do Periódico sob sua coordenação.
Art. 20º  Auxiliar o editor na recepção, apreciação e avaliação dos artigos e decisão quanto a sua publicação.
Art. 21º  Auxiliar o editor a estabelecer o planejamento gráfico do Periódico, auxiliados por um profissional da área.
Art. 22º – Redigir editoriais sobre assuntos de interesse para os leitores.

CAPITULO VII
Das Atribuições Do Conselho Editorial
Art. 23º – É função do Conselho Editorial colaborar com o Editor na consolidação e manutenção do Periódico, trabalhando na sua divulgação e emitindo pareceres técnicos.
Art. 24º – Aos Conselheiros, caso requisitado pelo Editor, cabe proceder à revisão editorial dos artigos encaminhados, informando-o de sua opinião quanto à:
a) relevância
b) propriedade
c) adequação às normas gráficas e editoriais
d) ortografia
e) correção científica
§ 1º  No caso de recomendar à publicação, o parecer deve ser acompanhado de sugestões de modificações, devidamente justificadas.
§ 2º  No caso de rejeição, encaminhar parecer justificado.
Art. 25º – Os artigos para análise pelos Conselheiros devem ser devolvidos ao Editor em prazo nunca superior a 4 (quatro) semanas.
Parágrafo único – O Conselheiro que, por duas vezes, não emitir e enviar o seu parecer sobre artigo que lhe foi confiado, sem justificativa aceitável pelo Editor, poderá ser afastado do corpo editorial.
Art. 26º – Os conselheiros poderão indicar avaliadores para atuarem como pareceristas ad hoc.

CAPÍTULO VIII
Das Atribuições Do Conselho Consultivo
Art. 27º – O Conselho Consultivo é composto de filósofos de reconhecida importância, indicados pelo editor ou pelos coordenadores editoriais. Parágrafo único – não há número mínimo ou máximo de conselheiros nesta modalidade. Art. 28º – É atribuição do membro do Conselho Consultivo selecionado pelo Editor ou Coordenador Editorial emitir parecer no caso de discordância nas avaliações fornecidas pelos membros do Conselho Editorial de submissões realizadas à Investigação Filosófica e no caso de não haver parecerista membro do Conselho Editorial que seja competente na área do texto submetido. Art. 29º – Qualquer membro do Conselho Consultivo pode fornecer conselhos, de ofício ou quando solicitado, ao Editor, aos Coordenadores Editoriais ou aos outros membros do Conselho Editorial. 
CAPÍTULO IX
Das Normas Aos Autores
Art. 30º – As normas aos autores estarão sempre disponíveis no Periódico.
Art. 31º – As normas poderão ser alteradas por deliberação do Conselho Editorial, sob a coordenação do Editor.
Art. 32º – Os autores só poderão publicar um texto em um mesmo número do Periódico por vez.

CAPÍTULO X
Da Cessão Dos Direitos Autorais
Art. 33º  O autor do texto originalmente e voluntariamente publicado no Periódico cede automaticamente os direitos autorais da obra publicada ao Periódico.Art. 34º  O acesso ao conteúdo será publico, sendo sua citação permitida se e somente se a fonte for referida.
Art. 35º  A utilização comercial das obras é facultada somente aos seus respectivos autores e ao Periódico.

CAPÍTULO XI
Das Normas Aos Avaliadores
Art. 36º – Os avaliadores, sejam eles membros do Conselho ou pareceristas ad hoc, seguirão as normas publicadas no Periódico.

CAPÍTULO XII
Das Reformas
Art. 37º – O presente regimento só poderá ser modificado por iniciativa de membro do Conselho Editorial. As modificações serão implementadas apenas se aprovadas pela maioria dos votos válidos dos membros do Conselho Editorial.Art. 38º – A ausência de voto no prazo estabelecido conta como anulação do voto. E o voto anulado não conta como voto válido.Parágrafo único – O Conselheiro que, por duas vezes, não enviar o seu voto em enquete preparada pelo Periódico, sem justificativa aceitável pelo Editor, poderá ser afastado do Conselho Editorial.

Redigido em 29/09/2009

Artigos Filosóficos: consideramos para a publicação dois tipos de artigos filosóficos, a saber, os expositivos e os investigativos. Os primeiros visam expor problemas filosóficos juntamente com as respectivas teorias que tentam resolvê-lo e com as objeções que existem contra essas teorias. Os segundos visam expor alguma solução original para algum problema filosófico ou propor uma objeção inovadora a alguma teoria filosófica. Não limitamos o número de páginas dos artigos, mas indicamos que preferimos artigos de até 20 páginas. Os artigos devem ser escritos em Times, tamanho 12 e espaçamento 1,5 com a menor quantidade de formatações possível e preparados para a avaliação anônima. Na primeira página do artigo devem constar, após o título, em português, um resumo de até 300 palavras e três a seis palavras-chave; se o/s autor/es optarem pela publicação de seu texto, ele deve conter também a tradução em inglês ou francês tanto do resumo, quanto das palavras-chave. Todo artigo enviado para a revista IF deve ser inédito, tanto por meio impresso quanto por meio digital. Por meio digital entende-se um artigo indexado/ISSN, quer em algum periódico eletrônico, quer em atas de congressos. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais posteriores separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista
Resenhas: consideramos para a publicação dois tipos de resenhas, a saber, as resenhas críticas e as resenhas meramente expositivas. As primeiras expõem algum artigo, capítulo de livro ou livro, criticando argumentos apresentados no texto. As segundas expõem algum artigo, capítulo de livro ou livro, mas enfocam-se em sistematizar os textos apresentados em (i) objetivos centrais, (ii) teses defendidas e (iii) argumentos utilizados, além de apresentar como os textos resenhados se enquadram no conjunto de teorias que existem para tentar resolver um certo problema filosófico. Não limitamos o número de páginas das resenhas e elas devem ter a mesma formatação dos artigos. Sugerimos que as resenhas sejam construídas levando-se em conta o caráter pedagógico que elas podem ter.
Traduções: aceitamos traduções de quaisquer textos de dentro da filosofia, seja de domínio público ou não. No caso de não ser de domínio público, o tradutor deve enviar junto com a tradução tanto a autorização do autor, quanto a do editor do texto original. Também aceitamos traduções para a  língua portuguesa ou para a língua inglesa dos artigos publicados no Periódico Investigação Filosófica ou dos textos publicados primeiramente no Blog Investigação Filosófica. A formatação é a mesma dos artigos. É interessante que o tradutor faça uma introdução ao texto traduzido, embora isso não seja essencial. A tradução, para fins de padronização, deve seguir o glossário exposto logo abaixo.
Diálogos: os diálogos são textos compostos de dois ou mais personagens conversando, como os diálogos platônicos. Consideramos que esse formato de texto é filosoficamente interessante, pois exemplificam a forma como os filósofos conversam entre si, e podem introduzir os estudantes a um dos métodos de investigação filosófica. A formatação é como a dos artigos, mas o texto deve ser composto apenas da fala dos personagens. 
Entrevistas: aceitamos entrevistas realizadas com pesquisadores em Filosofia. Nosso critério para a aceitação neste gênero é a relevância filosófica das investigações do entrevistado e das perguntas do entrevistador. O formato do texto deve ser idêntico ao dos diálogos, e a formatação é tal como a dos artigos.
Respostas: as respostas aos artigos, resenhas e diálogos publicados devem, primeiramente, enfocar e expor as teses e argumentos do texto do qual ela é uma resposta, e depois prover o mais sistematicamente possível a resposta para tais teses e argumentos. Pedimos que os textos de respostas sejam curtos, a fim de que possamos dar ao autor o direito de uma pequena tréplica.
Verbetes: os verbetes podem tomar dois formatos, a saber, ou eles introduzem algum problema da Filosofia, nos mostrando o estado da arte, ou eles introduzem alguma subárea da Filosofia, por meio da abordagem dos principais problemas que constituem a subárea. Aceitamos verbetes originais e traduções de verbetes de outras enciclopédias filosóficas de qualidade acompanhadas da devida autorização do editor.
Citações e Referências
a) As citações literais de até três linhas devem ser integradas ao corpo do texto, entre aspas. Citações com mais de três linhas devem ser destacadas em margem deslocada 3 cm à esquerda, corpo 11, espaço simples entre linhas, com espaçamento de duas linhas antes e depois do resto do texto.
b) As referências bibliográficas deverão ser informadas no texto entre parênteses com sobrenome do autor, ano da publicação e página, logo após a citação, no corpo do texto. Ex.: “Lange diz que…” (2009, pp. 45-46)…”
c) As siglas utilizadas nas notas devem ser desdobradas quando mencionadas à primeira vez no artigo, mesmo quando reconhecidas como tradicionais entre os especialistas de um autor. Por exemplo: KANT, I. Akademie Ausgabe, vol. II, p. 31, doravante citada como Ak, seguida do volume e número da página.
d) A lista de referências bibliográficas completa, por ordem alfabética de sobrenome do autor, com apenas a inicial do nome, deve vir ao final do texto.